GESTÃO DE PASSIVOS TRABALHISTAS DA EMPRESA: COMO BALANCEAR ESSES RISCOS?

A gestão dos passivos trabalhistas de uma empresa é uma ferramenta importante para o controle não só dos valores envolvidos nas discussões judicias em curso, mas também para análise e reavaliação dos temas que foram objeto das reclamações trabalhistas contra a empresa.

A realização de uma análise criteriosa e cuidadosa dos assuntos mais recorrentes e relevantes, que são tratados nas reclamações trabalhistas, em regra consiste em um panorama dos principais e mais evidentes problemas trabalhistas que a empresa possui. Ou seja, tem-se o cenário dos passivos já judicializados e dos não judicializados.

Estes pontos de atenção são um excelente ponto de partida para a empresa iniciar uma avaliação de seus pontos mais sensíveis, e para realizar um planejamento para reduzir os riscos e dirimir os custos a eles relacionados.

Por outro lado, quando a empresa possui um volume significativo de reclamações trabalhistas, é importante avaliar quando uma política de acordos pode ser mais vantajosa economicamente falando, do que simplesmente levar os processos a todas as instâncias judiciais.

Nem sempre adiar o pagamento de uma condenação certa é a opção mais adequada, economicamente falando, para a empresa, pois por vezes o custo de manutenção de um processo ativo judicialmente é mais oneroso do que o encerramento precoce por acordo, por exemplo.

Evidentemente devem ser avaliados vários fatores, tais como: volume de processos; disponibilidade financeira da empresa a curto e longo prazo; condenações prováveis, possíveis e remotas; risco por problemas ainda existentes na empresa; dentre outros.

Por fim, conforme se observa, com a realização de uma análise criteriosa dos passivos trabalhistas da empresa, é possível planejar e executar uma política de redução dos mesmos com segurança e assertividade.

Para maiores informações sobre o tema, consulte nossa Equipe Trabalhista.

Laura Lanser Bloemer

GUARNERA ADVOGADOS